terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

FIM DE SEMANA

FIM DE SEMANA NA SERRA
IR À ALDEIA É FAZER "O QUE AINDA NÃO FOI FEITO"
O tempo, é gerido de forma a que se possa fazer algo que se gosta.
O campo precisa de ser  acariciado, pois a sua beleza  assim chama, dá-se um jeito nas árvores de fruto dentro dos parcos conhecimentos, pois é sem dúvida um mister que carece de bases,mas faz-se o que se pode.
  • A recolha de imagens não pode ser esquecida, é preciso perpetuar o momento, o espaço, a paisagem,o trabalho,o ambiente quente e frio,próprio de um fim de semana de inverno, com misto de primaveril.
  • No aconchego da lareira que queima a lenha e o seu crepitar é um som que nos embala!
  • O gosto de fazer não cansa, sabe bem, liberta-nos o pensamento,fazendo esquecer os tempos recentes vividos na incerteza.
  • Dizer não ao cansaço físico, é fortalecer a alma! 

                                                         O frio lá fora, embaceia a vidraça!
                                                                 A lareira aquece o espaço
                                                          Da minha varanda aprecio








                                                                  O trabalho

                                                              
                                                             Finalmente fez -se luz
                                                            O Candeeiero que fazia falta
                                                                       Há mais luz!







Fotos de Adriano Filipe

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

PORQUE AS CRIANÇAS SÃO O MOTIVO E A RAZÃO!

NATAL 2016

AQUI DEIXO ESTES VERSOS, DE UMA CONTERRÂNEA
ALUSIVOS AO NATAL 2016
É SEMPRE MOTIVO DE ALEGRIA,VER A COMISSÃO CONTINUAR A MANTER A TRADIÇÃO!
PARABÉNS À POETISA
E A TODOS QUE FIZERAM A FESTA  

Texto tirado do jornal Varzeense

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

UMA MEMÓRIA DO ANO VELHO, 2016

ANO 2016


Olha-se os 366 dias que são o ano bissexto. Dizem que os anos bissextos não são muito favoráveis para uns, mas sim mais felizes para outros.
Muito tem acontecido a nível mundial, como nacional, houve de tudo um pouco!
A minha pessoa que pode dizer; Um ano atribulado profissionalmente, no âmbito familiar tristonho, mas no que se refere ao aspecto  físico foi assaltado de um grande susto. Um internamento, seguido de uma intervenção cirúrgica cardiovascular, veio-me trazer uma melhor qualidade e esperança de vida.
Foram dias, horas, minutos ansiosos aonde por vezes o receio me assaltava.
Os livros que á cabeceira da cama me deixaram, um de poesia outro de fé Cristã, me serenavam o espirito, dando-me confiança, quando os desfolhava. As visitas dos familiares e amigos me confortavam. A presença sempre daquela que nestes momentos menos bons, comigo lacrimejou, foi de um apoio incondicional.
No meu quarto, a cama nº2 era a minha, a estadia de alguns pacientes  era curta pois as intervenções eram rápidas, no entanto dava para estabelecer uma curta amizade, assim com na restante enfermaria, assim destaco alguns amigos: " Luís Sá, José Barata,(de Santarém e da Chã de Alvares respectivamente),Fernando Pereira"o benfiquista acometido de um AVC",LuisII,AntónioI,
Henrique Barata "ex:cliente meu", o Pedro, o António Lopes que sofria de parkinson, o Abílio bailarino de Kizomba na 24 de Julho, todos me ajudaram na espera, que chega-se o meu dia.
A D.Beatriz e a Maria funcionárias da higiene e limpeza altamente atenciosas.
Quanto ao corpo médico e enfermagem, que cuidados e atenções, o carinho nas nossas conversas, a esperança  e de confiança nos procedimentos que seriam levados a fazer.
O Drº André Monteiro -médico consulta cirurgia cardíaca.
O Drº Hagen médico cirurgião cardiovascular
O Drº José Fragata director da equipa e do H.S.Marta
As enfermeiras (os) a Rita,Joana,Ricardo,Deolinda(molata),Lina,Mariline,Sandra,Sofia,Suzana,Luis,
David,Julio Azeitona,o maqueiro Fernando Cardoso,no refeitório a D.Ana,foram todos de um profissionalismo inexcedível,já mais os esquecerei, pelos cuidados, carinho, disponibilidade que ao longo de muitos dias,me dedicaram dando força no antes e no pós operatório.
O meu reconhecimento a todos.
Dizer que foi fácil era mentir, mas digo hoje que valeu a pena a intervenção cirúrgica .
Aos meus familiares e amigos que nas horas mais difíceis, não deixem de acreditar,pois o Novo Ano já chegou, com ele se renovará a esperança com fé.
Uma frase que interiorizei lida do livro; Sejamos misericordiosos, pela palavra, pela acção e pela a oração.

                                                   A família presente no meu aniversário.





                                                                             FIXE